Bárbara Campos
Conte-nos o seu percurso e a razão pela qual escolheu a sua especialidade.:

Desde pequena que sempre disse ao mundo “quero ser Dentista” mesmo sem fazer ideia de tudo aquilo que isso iria acarretar para mim. Aos poucos e poucos fui crescendo e essa ideia cresceu comigo, cada vez mais sólida. Passei de uma menina com receio de ver sangue a uma Mulher sempre desejosa da próxima cirurgia, de fazer um pouco mais para ajudar o próximo. Uma das minhas grandes paixões na Medicina Dentária é a Endodontia, um tratamento em que na maior parte das vezes não se vê com os nossos olhos aquilo que se faz, sente-se, e ai é que está a magia desta área.

Que tratamentos realiza no seu dia-a-dia e qual o impacto nos seus pacientes?:

Diariamente realizo um pouco de tudo aquilo que se faz na Medicina Dentária, sou aquilo a que costumamos chamar “generalista” e gosto de pensar que qualquer que seja o caso este será um desafio que me proponho a resolver da melhor forma possível, tendo como objectivo principal fazer alguém sorrir. Apesar disso, tenho como foco a Endodontia, que na minha opinião pode ter um impacto muito grande na vida de um paciente, acabando com as dores que muitas vezes sente e salvando dentes que o próprio paciente já tinha dado como perdidos.

Qual o seu principal target e que tratamentos têm mais procura?:

Com a dedicação e o estudo que tenho feito na área da Endodontia, esse tem-se tornado um dos tratamentos que faço com mais regularidade e que tem cada vez mais procura, tendo em conta que cada vez mais o paciente procura uma solução para tentar salvar o seu dente e não apenas uma medida para ajudar com a dor que pode estar a sentir. Após a Endodontia, vulgarmente chamada desvitalização, gosto de planear e executar a melhor reabilitação possível para o dente em questão, de maneira a dar a esse dente o melhor prognóstico possível.

Que alterações tem vindo a observar na sua atividade profissional ao longo do seu percurso (por exemplo, procura, necessidades dos pacientes, intervenção do digital)?:

Com o passar do tempo penso que as necessidades e desejos dos pacientes multiplicam-se, estes são muito exigentes e procuram saber mais acerca de um Médico Dentista antes de escolherem visitar o mesmo, sendo fundamental a nossa constante formação e crescimento, tanto a nível profissional como pessoal. Para além disso, cada vez mais o mundo digital tem uma influência no que escolhemos para nós, sendo imprescindível, como Médicos Dentistas, fazermos parte dele.

Em que medida o digital favorece o contacto e acompanhamento dos seus pacientes?:

Nos dias de hoje, a marcação de uma consulta pode estar à distância de um clique no mundo digital, sendo este meio uma mais valia tanto para nos darmos a conhecer enquanto profissionais como para acompanhar os nossos pacientes para além do consultório Médico.

 

Bárbara Campos

 

 

Artigos Recentes
doenças neurodegenerativas
Há mais de 600 doenças neurodegenerativas. Percebe as suas principais consequências
Há mais de 600 doenças neurodegenerativas, sendo as mais conhecidas Huntington, Parkinson e Alzheimer (esta...
doenças autoimunes
Sabes o que são doenças autoimunes? Nós explicamos
Numa doença autoimune, é o próprio sistema imunitário que agride o corpo. Por isso, nestes...
prevenção da anemia
Conhece os sintomas e modos de prevenção da anemia
A anemia é uma condição que se caracteriza por um conteúdo reduzido de hemoglobina no...