Coincidência ou não, o Dia Europeu da Disfunção Sexual assinala-se a 14 de fevereiro, no Dia dos Namorados. Este é um problema de saúde que atinge homens e mulheres, em todo o mundo. Estima-se que ele afete 25% a 63% da população mundial. 

Em Portugal, a percentagem de mulheres com esta perturbação situa-se entre os 40% e os 70%. Portanto, fica informado sobre este tópico, deixa de lado a vergonha e pede ajuda, se achares que precisas.

Percebe o que é a disfunção sexual e quais as suas formas de tratamento

A disfunção sexual não engloba apenas a disfunção erétil. Há várias perturbações que podem afetar a vivência sexual de homens e mulheres e esconder estas dificuldades é mesmo o principal problema. 

Este termo (“disfunção sexual”) refere-se à dificuldade ou, mesmo, à impossibilidade de ter relações sexuais ou retirar prazer delas. Deste modo, esta expressão relaciona-se com:

  • a falta de desejo sexual;
  • a dificuldade em manter a excitação sexual ou corresponder à do parceiro;
  • a incapacidade em atingir o orgasmo;
  • a sensação de dor durante o ato sexual;
  • a coexistência de vários destes sintomas.

Deste modo, a disfunção sexual é uma perturbação que pode ser subdividida em 4 categorias:

  • as que afetam a estimulação sexual;
  • as que diminuem o desejo sexual;
  • as que impedem o orgasmo;
  • as que dificultam a ereção.

Causas

A origem da disfunção sexual pode ser tanto física, como psicológica. Determinar a sua origem ou origens é uma etapa fundamental do processo de diagnóstico. Fica a conhecer algumas das razões possíveis.

Razões físicas
  • Doenças neurológicas, cardiovasculares e/ou hepáticas;
  • Diabetes;
  • Distúrbios hormonais;
  • Problemas renais;
  • Tabagismo;
  • Toxicodependência;
  • Alcoolismo;
  • Fármacos anti-depressivos, anti-hipertensivos e anti-histamínicos.
Razões psicológicas
  • Ansiedade, depressão e/ou stress;
  • Preocupações/Inseguranças em relação ao desempenho sexual;
  • Problemas conjugais.
Razões especiais
  • Gravidez;
  • Período pré-menstrual;
  • Pós-parto;
  • Menopausa.

Sintomas

Embora já tenhamos exposto as manifestações da disfunção sexual mais comuns aos dois géneros, importa individualizar os efeitos deste distúrbio tanto em homens, como em mulheres, visto ambos terem especificidades. Ora, toma nota:

Homens

  • Dificuldades na ereção;
  • Alterações na ejaculação

Mulheres

  • Diminuição do desejo sexual;
  • Pouca lubrificação vaginal;
  • Incapacidade em alcançar o orgasmo;
  • Dificuldade no relaxamento da musculatura vaginal.

Diagnósticos e tratamento

O diagnóstico só é possível com a visita a um especialista e com a tua colaboração. O médico irá querer saber pormenores da tua história sexual e avaliar o teu estado geral de saúde, assim como outros problemas sexuais já identificados.

Com estes passos pretende-se saber se existe alguma condição física que esteja na origem da disfunção ou se, por outro lado, a causa é psicológica/emocional.

O tratamento vai depender da causa subjacente a este problema de saúde. Além de ser recomendado um estilo de vida saudável, caraterizado por uma boa alimentação e a prática regular de exercício físico, há outras opções terapêuticas a considerar, tais como:

  • medicamentos hormonais;
  • fármacos;
  • suporte psicológico;
  • terapia sexual;
  • psicoterapia;
  • implantes de ajuda mecânica (como implantes penianos ou sistemas de vácuo);
  • dilatadores (para as mulheres).

A sexualidade é uma parte importante da vida de qualquer ser humano, por isso se sentes que não a consegues vivenciar em pleno, não deves ter qualquer receio em procurar ajuda. Antes de partires para a visita a um especialista, podes e deves marcar uma consulta no médico de família

Vai a doctorino.pt e não te esqueças que este é um problema que o casal deve encarar em conjunto.