Infelizmente, a falta de dentes é um problema que continua a afetar muitos portugueses, comprometendo a sua saúde, bem-estar e, obviamente, auto-estima. Uma dentição completa é constituída por 32 dentes, entre os quais se contam incisivos, caninos, pré-molares e molares. 

Porém, ao longo da vida, são vários os traumas ou doenças orais que podem conduzir à perda ou remoção indesejada de dentes. Nestes casos, é importante procurar soluções de substituição dentária adequadas e é sobre isso que hoje te vimos falar.

Sofres com a falta de dentes? Conhece 3 possíveis soluções para esse problema
Causas

Antes de falarmos sobre as soluções existentes para a falta de dentes, vamos expôr alguns dos motivos mais comuns para a perda de dentes.

  • Cárie dentária: é a causa mais comum para a perda de dentes e tem origem nas bactérias que existem na boca.
  • Periodontite: doença infeciosa que afeta os tecidos e ligamentos que envolvem o dente.
  • Traumatismos: uma queda ou acidente, por exemplo, que envolva alguma violência, pode provocar a saída de dentes.  

Consequências

Além das causas, é essencial falar sobre as consequências para a saúde e para o organismo da falta de dentes.

  • Mastigação: A qualidade e eficácia da mastigação é, desde logo, um dos aspetos mais afetados pela perda dentária, o que irá também ter repercussão na forma como decorre todo o processo digestivo. Se os alimentos não forem perfeitamente mastigados, então a digestão será mais difícil.
  • Auto-estima: Outra consequência comum é a perda de auto-estima e auto-confiança, o que pode levar a situações de isolamento e, mesmo, depressão.
  • Oclusão: A má oclusão (devido à mudança de posição dos dentes) também torna mais difícil a prática de uma boa higiene oral, o que aumenta a probabilidade de surgirem ainda mais problemas dentários.
  • Desgaste: Quantos menos dentes tiveres, mais esforço e pressão vais exercer sobre os outros dentes. Assim, o desgaste dentário é uma realidade nas pessoas a quem faltam dentes.

Soluções para a falta de dentes

Apontadas as principais causas e consequências deste problema, importa agora falar nas soluções, que devem ser aplicadas em função do caso clínico de cada paciente.

Implante dentário

Falamos de uma dentição fixa sobre implantes ou de dentes removíveis sobre implantes dentários. Esta é a opção mais semelhante aos dentes naturais, em termos de aparência e de função.

O implante é, no fundo, um parafuso que é fixado no osso do maxilar através de uma pequena cirurgia. Ele vai ligar o osso à superfície do implante. Depois, é colocada uma coroa sobre esse implante.

Principais vantagens
  • Aspeto estético natural;
  • Prevenção da perda óssea;
  • Melhor higienização;
  • Maior e melhor distribuição da força mastigatória.
 
Prótese fixa

A prótese fixa pode ser usada na falta de um ou de vários dentes.

Inicialmente, desgastam-se os dentes adjacentes para servirem de âncora. Depois, insere-se uma prótese dentária (“ponte”) que pode ser cerâmica ou de outro material.

 
Prótese removível

As próteses totais podem ter uma base acrílica ou de metal e podem servir para fazer a substituição total ou parcial da dentição. Estas próteses são fixadas pelo vácuo criado entre a prótese e a gengiva, com auxílio da saliva e/ou de ganchos preparados para o efeito. Para a sua boa conservação, é importante higienizá-la, após cada refeição.


Se te faltam dentes, não te conformes com a situação e não a encares com um dado adquirido. Mesmo que já estejas habituado à tua imagem, como viste, a perda de dentes compromete vários aspetos da tua saúde e bem-estar.

Podes marcar já a tua consulta de medicina dentária, sem perderes tempo, nem dinheiro, em telefonemas ou deslocações. Vai a doctorino.pt e, em breves minutos, tens a tua consulta de dentária marcada. E, então? Aceitas o desafio de “voltar a sorrir”?