A dispepsia é um mal comum que afeta uma percentagem significativa da população.

Enfartamento e indigestão: sintomas e como tratar

Será seguro dizer que já todos sentimos, pelo menos uma vez na vida, a sensação de enfartamento e indigestão. Aquela indisposição que nos impede de nos sentirmos bem de qualquer maneira, ou em qualquer posição. Normalmente, esse mal-estar surge na sequência de uma refeição mais “pesada”, habitualmente bem condimentada, rica em gorduras, açúcar e sal.

A juntar a estas características, muitas vezes a mastigação não é feita corretamente, nem com tempo, o que dificulta o processo digestivo. Em certas situações, estes cenários podem exigir a toma de medicação específica (antiácidos) e, nos casos mais graves, uma ida ao hospital. Nos cenários menos complicados, alguns “remédios caseiros” (chás e sumos) podem ser suficientes.

Com a aproximação da quadra festiva, nomeadamente do Natal e da Passagem de Ano, faz ainda mais sentido abordar este tema, visto que as horas passadas à mesa são mais que muitas, perante pratos bem recheados e alimentos ricos em substâncias que potenciam estas complicações de saúde.


Enfartamento e indigestão: sintomas e como tratar

A má digestão pode caracterizar-se por uma sensação de dor ou ardor na região do estômago e/ou pela dificuldade em digerir os alimentos, devido a enfartamento. A sua designação mais específica é dispepsia e afeta cerca de 20% a 40% da população.

MARCAR CONSULTA


O enfartamento e as festas

Os casos de enfartamento e indigestão aumentam consideravelmente nas épocas festivas,  nomeadamente no Natal e na Passagem de Ano. As principais razões para isso prendem-se com: a quantidade excessiva de alimento; as “misturas” de ingredientes; a sobreposição de digestões (comer quando ainda está a fazer a digestão da refeição anterior); o sedentarismo; e a má mastigação.

Além do desconforto causado, em algumas situações a dispepsia pode provocar problemas de saúde graves, o que é indesejável em qualquer circunstância, muito menos numa ocasião festiva como as datas de final de ano.

Por essa razão, há que controlar a gula e moderar os impulsos alimentares. Coma calmamente, mastigue bem os alimentos e, acima de tudo, não fique o tempo todo sentado. Vá intercalando os períodos de refeição com atividades que impliquem algum movimento e faça desta ocasião festiva um momento de descontração e diversão, sem imprevistos de saúde.

Caso considere que o seu caso merece avaliação por parte de um clínico (por ser grave ou frequente), então vá a doctorino.pt e marque consulta para o gastroenterologista mais próximo de si!