No dia 03 de março, celebra-se o Dia Mundial do Cuidado Auditivo. A audição é um dos sentidos mais importantes, mas também um dos que vamos perdendo mais acentuadamente, ao longo da vida.

Muitas vezes, a solução para contornar este problema é mesmo optar por uma prótese auditiva acústica, um pequeno dispositivo que é colocado diretamente no ouvido. Esse aparelho amplia o volume dos sons, facilitando assim a audição. Interessado em saberes mais? Continua a ler…

Dizem-te que ouves mal? Um aparelho auditivo pode ser a solução!

Atualmente, o mercado disponibiliza uma grande variedade destes aparelhos, os quais podem ser de uso interno ou externo e compostos por microfone, amplificador de som ou altifalante.

Se antes de usares óculos, consultas um oftalmologista; antes de colocares um aparelho auditivo, deves ir a um audiologista. 

É que, apesar de não precisares de receita médica para comprares um aparelho, é essencial consultares previamente um audiologista e fazeres exames de audição, como o audiograma, para identificares o teu grau de surdez, que pode ir de leve a profundo. Só assim é possível escolheres o dispositivo mais adequado para o teu caso.


Quando usar

Como já dissemos, os aparelhos auditivos só devem ser adquiridos, após indicação do audiologista. Normalmente, eles são recomendados para casos de surdez por desgaste do sistema auditivo ou quando existe uma patologia que dificulta a chegada de som ao ouvido interno, nomeadamente em situações de:

  • sequelas de otite crónica;
  • alteração das estruturas do ouvido, por traumatismo ou doença, como a otosclerose;
  • dano das células do ouvido por excesso de ruído continuado;
  • presbiacusia (degeneração das células do ouvido, devido ao envelhecimento);
  • tumor no ouvido. 

Após consulta, se o audiologista considerar que o paciente não precisa nem de medicação, nem de cirurgia, mas que o aparelho auditivo é a melhor opção, então passa-se à fase da seleção, adaptação e acompanhamento do aparelho.


Implante coclear 

Há situações em que o aparelho auditivo pode não ser eficaz. No caso de uma surdez mais grave, do tipo neurossensorial, por exemplo, pode ser necessário o implante coclear, um equipamento eletrónico que estimula diretamente o nervo auditivo através de pequenos elétrodos que levam os sinais elétricos ao cérebro que os interpreta como sons.


Tipos de aparelho

Como já dissemos, existem diferentes tipos e modelos de aparelho auditivo. Alguns dos mais conhecidos são:

  • Retroauricular ou BTE: é o modelo mais comum. Encaixa-se na parte superior externa da orelha e liga-se ao ouvido por um fino tubo que conduz o som. Possui controlos internos de programação, como regulação de volume, e tem um compartimento para a pilha.
  • Intracanal ou ITE: é uma tipologia de uso interno. O aparelho é fixado dentro do canal auditivo e, por isso, é personalizado, através de um molde. Tem um controlo interno ou externo com botão de volume e programação para controlo da função. Possui um compartimento para pilha.
  • Intracanal profundo ou RITE: é o modelo mais pequeno. Faz uso da tecnologia digital; é de uso interno e encaixa-se totalmente dentro do canal auditivo, sendo praticamente invisível. Mais indicado para pacientes com perda de audição leve a moderada.

Se sentes que já não ouves como dantes, então está na hora de consultares um especialista e tratares da tua audição. Vai a doctorino.pt e marca já a tua consulta de audiologia!

Consulta de audiologia