Não, não te vamos sujeitar a nenhuma análise, nem forçar-te a nenhum período de quarentena, vamos simplesmente explicar-te quais as circunstâncias que te podem tornar num potencial alvo deste novo vírus, o COVID-19.

Muito se tem dito e escrito sobre esta nova doença e os seus fatores de risco, mas também se tem percebido que o alarmismo e a desinformação reinam. Portanto, esclarece agora connosco todas as tuas dúvidas e sabe realmente o que fazer, se sentires sintomas idênticos aos deste novo vírus.

Descobre se és portador do novo coronavírus. Continua a ler

Comecemos pela designação, COVID-19 foi o nome atribuído à doença provocada por um novo coronavírus (SARS-COV-2). Este novo vírus pode causar infeção respiratória grave como pneumonia. 

Ele foi identificado pela primeira vez em humanos no final de 2019, na cidade chinesa de Wuhan. Em Portugal, estima-se que possa vir a ser de 1 milhão o número de pessoas infetadas com este vírus.


Principais sintomas

Os sintomas desta doença são semelhantes aos de uma gripe. Os seus principais sinais são:

  • febre
  • tosse
  • falta de ar (dificuldade respiratória)
  • cansaço

Em situações mais graves, pode detetar-se pneumonia grave, insuficiência respiratória aguda e falência renal, circunstâncias que podem conduzir à morte.


Como podes saber se tens COVID-19 ou uma gripe comum?

Tens os sintomas anteriormente referidos? Sentes febre, tosse, falta de ar e cansaço? Então, as questões essenciais que deves estar a colocar a ti próprio são: Será caso para ficar de quarentena? Devo contactar a linha de saúde 24?

Basicamente, as indicações da Organização Mundial de Saúde, do Serviço Nacional de Saúde e da Direção Geral de Saúde são de que apenas são casos suspeitos de COVID-19 os indivíduos que, além da sintomatologia descrita acima, ou tenham estado numa área afetada pela doença, ou tenham contactado com algum paciente com COVID-19.

Esse contacto não precisa ser muito próximo, visto que o vírus se transmite através de gotículas respiratórias (que se espalham quando a pessoa infetada tosse, espirra ou fala) ou do contacto das mãos com uma superfície ou objeto infetado.


Suspeitas que tens o novo coronavírus? Eis o que deves fazer

Se tens os sintomas descritos anteriormente e estiveste numa zona afetada ou com alguém com esta patologia, o primeiro passo a dares é manteres-te isolado, de modo a conteres o vírus e a evitares a transmissão a terceiros. Depois, deves contactar a linha de saúde 24 (808 24 24 24), de maneira a obteres todas as indicações sobre como deves proceder. 


Como protegeres-te e protegeres os outros

Até ao momento, não há restrições nem proibições no que toca a viajar para outros países. Porém, há medidas que é importante tomares tanto cá dentro, como lá fora, de modo a dificultares a transmissão deste vírus. Assim, deves procurar:

  • lavar frequentemente as mãos;
  • tossir ou espirrar para o braço com o cotovelo fletido;
  • usar lenços de papel (de utilização única) para te assoares;
  • evitares tocar nos olhos, no nariz e na boca.

 

Máscaras

Muito se tem debatido a eficácia ou não do uso de máscaras. Há, inclusive, algumas farmácias cujo stock esgotou, tal foi a procura deste item. Contudo, a DGS recomenda a utilização de máscaras apenas por parte de quem tem:

  • sintomas de infeção respiratória (tosse ou espirros);
  • infeção por COVID-19;
  • de prestar cuidados a suspeitos de infeção por COVID-19.

 

Quarentena

Só porque estás com tosse ou febre deves ficar em quarentena? Se não reúnes as outras condições para seres um caso suspeito de COVID-19, a resposta é não.

Porém, se há fortes indícios de que podes ter contraído este vírus ou se, por outro lado, não tens quaisquer sintomas, mas vieste de uma zona afetada, então pode fazer sentido ficares um período em quarentena.

Um dos desafios que este vírus tem colocado relaciona-se com o seu período de incubação, o qual pode ir de 2 a 14 dias. Isto significa que uma pessoa pode estar infetada com o vírus e ele só se começar a manifestar cerca de duas semanas depois.


Prevenção

Como viste, há algumas medidas preventivas que podes tomar para te protegeres deste vírus. É essencial que estejas com o teu sistema imunitário fortalecido, se o contraires e, caso tenhas alguns problemas de saúde, os procures manter controlados e vigiados.

Do que se sabe, até ao momento, um dos grupos de maior risco deste vírus são os doentes crónicos (diabéticos, por exemplo), cujas defesas podem ser insuficientes ou deficitárias para combater o COVID-19. 

Por tudo isto, esta é a altura certa para fazeres um check-up médico, avaliares a tua situação clínica e reforçares as tuas defesas. 


Marcação rápida e gratuita

Num momento em que os centros de saúde e hospitais estão sobrelotados, é necessária uma solução prática e eficaz. Para evitares as filas e salas de espera das clínicas, deves optar por marcar online a tua consulta médica.

Como? Muito simples! Basta ires a doctorino.pt, selecionares a especialidade médica que pretendes, assim como a tua localização e seguro de saúde que possuis (caso tenhas algum) e, em breves minutos, ficarás a saber quais os médicos disponíveis e horários livres para te receberem. Depois, só tens de confirmar a tua marcação e aparecer no hospital ou clínica na hora marcada. 

Todo o processo é GRATUITO e evita que tenhas de te deslocar pessoalmente ao local, apenas para fazer a marcação. Além disso, podes selecionar o médico ou unidade que mais te interessa, de acordo com a proximidade ou a disponibilidade de agenda, por exemplo. Numa altura em que a questão do isolamento se coloca, a Doctorino é o teu melhor aliado, não achas?!

Nota final: Em caso de suspeita de coronavírus, deves sempre contactar a linha de apoio da saúde 24 (808 24 24 24). Se não fores considerado pelo SNS um caso suspeito de COVID-19, mas ainda assim te sentes doente, então não adies e marca uma consulta em doctorino.pt.