Fevereiro é o mês do coração. Dia 14 de fevereiro celebra-se o Dia dos Namorados, mas também o Dia Nacional do Doente Coronário

Os problemas coronários ou as doenças cardíacas coronárias afetam milhões de pessoas em todo o mundo e registam uma taxa elevada de morbimortalidade (relação entre a morbidade e a mortalidade). 

É considerada uma doença do mundo ocidental e da sociedade moderna, uma vez que está muito relacionada com os hábitos de vida atuais dos países ocidentais. Embora os meios de tratamento estejam cada vez mais evoluídas, a grande recomendação para este problema de saúde é mesmo que apostes na prevenção!

Anota já os principais sintomas e medidas preventivas dos problemas coronários

Quando falamos de doença coronária, referimo-nos essencialmente a angina de peito ou a enfarte do miocárdio.

A angina de peito carateriza-se por um desconforto na região do peito, que pode expandir para outras zonas do corpo. Este sintoma deve-se, essencialmente, ao facto de não chegar ao coração sangue com oxigénio suficiente. 

Já o enfarte do miocárdio decorre de uma interrupção completa do fluxo de sangue que chega ao músculo cardíaco. Tal pode interferir na qualidade de vida e capacidades físicas do paciente ou mesmo provocar a sua morte.


Fatores de risco

Se numa fase inicial da vida, os homens têm maior risco de vir a sofrer deste problema de saúde; após a menopausa, as mulheres enfrentam um risco similar. Além das questões de género e de idade, há outros fatores de risco que tornam mais provável o surgimento desta doença, tais como:

  • colesterol elevado;
  • hipertensão arterial;
  • sedentarismo;
  • má alimentação;
  • diabetes;
  • tabagismo;
  • stress;
  • obesidade;
  • inatividade física;
  • história familiar de doença coronária.

Causas

Esta é uma doença grave e que pode ser fatal. A sua origem advém da acumulação de depósitos de gordura e de tecido fibroso (placas) no interior das artérias coronárias que fazem chegar o sangue ao coração. Essas placas vão tornar essas artérias mais rígidas e estreitas, dificultando a circulação sanguínea, rumo ao coração. Esta obstrução pode estar ainda relacionada com a formação de coágulos.


Sintomas 

Independentemente do tipo de obstrução (parcial ou total), as manifestações são normalmente idênticas e caraterizam-se por:

  • dor no tórax (angina);
  • cansaço extremo em esforço;
  • náuseas;
  • tonturas;
  • dor no estômago, mandíbula, dorso ou braço.

Tratamento e medidas preventivas

Perante tais sintomas, e se adicionalmente possuires alguns dos fatores de risco enumerados, deves contactar de imediato o 112. Depois, deves procurar consultar um médico, preferencialmente um especialista em doenças coronárias.

Antes de definir qualquer método de tratamento, o profissional de saúde vai ter em consideração a tua história clínica e fazer-te exames como ECG, ecocardiograma, teste de isquémia, entre outros.

Depois, e além da prescrição de possíveis fármacos, é fundamental reduzires os fatores de risco, apostando em medidas preventivas, nomeadamente:

  • parares de fumar;
  • controlares a pressão arterial;
  • praticares exercício físico regularmente;
  • fazeres uma alimentação equilibrada;
  • diminuires o stress.

A indicação de medicamentos irá depender da tua situação e das comorbidades associadas (associação de duas ou mais doenças na mesma pessoa). Em certos casos, pode mesmo ser sugerida a colocação de stent, angioplastia com balão e cirurgia de revascularização miocárdica.

Convém sublinhar que nenhum destes é um método de cura da doença, mas sim de controlo da mesma.


Se suspeitas que algo não está bem com o teu coração, não adies uma visita ao médico. Podes começar por marcar consulta no teu médico de família e fazeres alguns exames e análises que ajudem a avaliar a tua situação. Vai já a doctorino.pt e agenda já essa consulta.